Assinatura RSS

Arquivo do mês: julho 2014

Um vira-lata na Copa do Mundo

Publicado em

vira lata

Quando certa manhã acordou de sonhos intranquilos, Gregório de Souza encontrou-se em sua cama metamorfoseado num cachorro vira-lata. Acordado pelos fogos de uma comemoração da Copa do Mundo, saiu para a rua meio atordoado, sem entender bem o que acontecia.

Seu problema não conseguiu ser bem explicado pela medicina. Afirmaram que poderia ser um certo “complexo de vira-lata”, patologia descoberta e tipificada pelo Sr. Nelson Rodrigues. O “complexo de vira-lata” trata-se da “inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo” diziam eles. Gregório, por sua vez, preferia outra citação de Rodrigues: “Toda unanimidade é burra”.

Gregório achava a Copa muito bonita. Gostava dos jogos disputados, do bom futebol e das pessoas de vários países felizes nas ruas, mas insistia em latir de vez em quando. Não gostava do fato dos moradores serem despejados das suas casas para as obras da evento, nem da especulação imobiliária que aumentava o aluguel para as pessoas mais pobres. Ficava bravo com o “sumiço” que deram nos moradores em situação de rua e também com as várias agressões e prisões contra as pessoas que protestavam, tentavam protestar, ou mesmo participaram de alguma manifestação (sendo presos em casa). Tampouco gostava da FIFA passando por cima das leis do seu país para lucrar e fazer o que bem entender. Aliás, esta empresa internacional do futebol, dizem por aí, é muito corrupta (assim como a nossa CBF). Igualmente, achava estranho que empreiteiras doadoras de campanhas de políticos da situação e oposição estivessem ganhando rios de dinheiro com a construção dos estádios.

O cão Gregório ficou triste pelo jovem Neymar, que se machucou, mas também pelos dois mortos e vários feridos num viaduto em Belo Horizonte e pelos oito operários mortos na construção dos estádios . Disseram pra ele que isso que isso não tinha nada a ver com a Copa, mas ele achou estranho. O viaduto fazia parte das obras de mobilidade para o evento e os estádios corriam pra ficar prontos a tempo. Eles devem estar certos, ponderou Gregório. Talvez não tenha relação. E afinal, se tiver relação, não se faz um omelete sem quebrar os ovos e os estádios estão lindíssimos e são motivo de orgulho para a nação (apesar de muito caros para a maioria). E falar mal desta eficiência pra fazer coisas boas é coisa de vira-lata!

Mas, mesmo tentando entender tudo, a barra começou a pesar para o cachorro. Primeiro chamaram-no de outro animal, o tucano. Ele não compreendeu bem, pois estas aves também pareciam gostar da Copa e até mandavam a polícia prender os que protestavam. Disseram que Gregório era muito rabugento, contra o povo e até levaram-no pra tomar uma vacina anti-rábica. Latir, não podia, só podia gritar que era brasileiro, com muito orgulho, com muito amor. O país não precisa mais de vira-lata, ame-o ou deixe-o, Copa das Copas, algo deste tipo, disseram pra ele, com entusiasmo.

O cãozinho até tentou se entrosar, pintou o pelo de vede e amarelo, foi numa Fun Fest ver se descolava as sobras de uma linguiça do vendedor autorizado FIFA e deu um rolê na Vila Madalena pra presenciar a festa dos gringos. Afinal, se não pode vencer, junte-se a eles. Mas acabou desistindo. Preferiu ficar na dele. De vez em quando fica nervoso com o barulho dos fogos e dá umas voltas nele mesmo, mas não faz mal a ninguém. Preferiu parar de latir, afinal vira-lata calado fica longe da carrocinha.

Gabriel de Barcelos

 

Gregório gostou muito deste filme sobre a Copa

Ele acha que este site do Portal Popular da Copa e das Olimpíadas tem boas informações, também-

 http://www.portalpopulardacopa.org.br/