Assinatura RSS

Arquivo do mês: maio 2014

Hijikata e um sonho

Publicado em

buto

 

Tatsumi Hijikata foi o criador do Butoh: complexa dança japonesa, dificilmente explicável em poucas palavras. Dezesseis anos depois de ficar ausente de sua terra natal, Akita, resolve voltar. Durante este processo, realiza uma série de perfomances nos campos que tão bem conhecia. Ontem assisti um documentário que entrevistava a menina desta foto, hoje. Ela conta que toda a situação vivida naquele momento era tão impressionante, que ela e suas amigas tinham na memória que tudo o que aconteceu naquele dia (durante a performance de Hijikata) tinha sido apenas um sonho.

Hunter Thompson e o anti-jornalismo

Publicado em

hunter

 

O que me interessa em Hunter Thompson é que ele foi aquele que mais fez anti-jornalismo. Se figuras do New Journalism inovaram com um trabalho que deixava de lado o distanciamento e se entregavam de cabeça ao seu tema e seus personagens, Thompson vai além e abandona até mesmo o princípio mais básico do jornalismo: a pauta. Em “Medo e Delírio”, aquilo que era para ser a reportagem sobre uma corrida em Las Vegas é abandonado. O autor, a partir disso, não tem o menor pudor em narrar, a partir de então, suas experiências psicodélicas com a grana que ganhou por antecipação, onde nem mesmo o real passa a importar. Um gênio inspirador, para quem, como eu, fez o curso de jornalismo e odeia tudo o que este trabalho representa tradicionalmente.

Intervenção “Cláudia: não esqueceremos” + Cineclube Mostra Luta

Publicado em

Cineclube Mostra Luta 2

 

Atualização: fotos do evento- https://www.facebook.com/mostra.luta/media_set?set=a.512493208862553.1073741826.100003056342212&type=1

 

Dia 9 de maio

MIS- Campinas

 

18 hs

Intervenção “Cláudia: para não esquecermos”

No dia 16 de março de 2013, Claudia Silva Ferreira foi baleada e arrastada até a morte por uma viatura da polícia, no Morro da Congonha-RJ, comunidade onde vivia. O site “Think Olga” fez uma homenagem a Claudia, ao colocar mais de 100 desenhos, realizados por diferentes pessoas, que retratam a moradora e denunciam o que ocorreu (veja aqui http://thinkolga.com/2014/03/22/mais-100-vezes-claudia) A partir disso nós, do Coletivo de Comunicadores Populares, propomos uma intervenção político-artística, ao imprimir estes desenhos no formato de cartaz “lambe-lambe” e colar num grande painel, em algum muro da cidade de Campinas. Além disso, será exibido na rua o curta “O porquê da desmilitarização da polícia” do Xavante TV.

O objetivo do trabalho é chamar a atenção para os abusos cometidos pelas forças de repressão do Estado. Além disso, tornar visível, nas ruas da cidade, o rosto de uma mulher negra, pobre e periférica, que a sociedade insiste em tornar invisível e que é mais um caso de uma população negra exterminada todos os dias. Através do contato direto na cidade, tentamos criar uma nova relação com as pessoas nas ruas, que têm o seu cotidiano quebrado por imagens que buscam gerar reflexão e chamar para a ação de transformar.

 

20 hs

Cineclube Mostra Luta

A Mostra Luta completará 7 anos em outubro de 2014. Organizada pelo Coletivo de Comunicadores Populares  desde 2008 no Museu da Imagem e do Som de Campinas, terá um formato itinerante a partir deste mês: um Cineclube mensal que irá rodar por vários pontos da cidade de Campinas (SP), fomentando debates por meio de produções audiovisuais sobre as lutas sociais. A intenção inicial é propor exibições em outros espaços da cidade, com temáticas mais pontuais, e envolver, debater, trocar movimentar e refletir outras pautas e questões da cidade, num exercício mensal que descentralize e desinstitucionalize os espaços de exibição de cinema, levando o cinema a outros públicos.

Serão seis exibições até a Mostra Luta anual, que acontecerá em outubro. A primeira sessão, lançamento do Cineclube, será no Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS), no dia 9 de maio, sexta-feira, às 20h00, com os filmes “Distopia: 021” “Você Pode Dar um Presunto Legal”, e “O porquê da desmilitarização da Polícia. Os filmes exibidos trarão para o debate temas como o legado autoritário da ditadura, a violência policial e a necessidade de repensar estas instituição, além dos projetos especulativos e higienistas nas grandes cidades brasileiras, que promovem medidas de exceção contra a população pobre e negra.

Após isso, no mês de Maio, o Cineclube Mostra Luta começará o percurso pela cidade e já confirma exibição em um dos bairros da ocupação do Campo Belo, o Jardim Columbia, com data e horário ainda não confirmados.

 

Primeira sessão do Cineclube Mostra Luta- 20 hs- MIS- Campinas

Filmes:

Distopia: 021 (Victor Ribeiro, 21 min.)– Uma cidade que vive uma tensão cotidiana, um projeto de apagamento da memória coletiva e o afastamento sistemático dos pobres do mar. Distopia :21 é um video documentário sobre a revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro no horizonte dos megaeventos esportivos internacionais (Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos 2016).

O porquê da desmilitarização da polícia (Xavante TV, 6 min.)- Um dos assuntos que tem vindo à tona nos últimos tempos é a desmilitarização da Polícia. E pensar no nosso modelo de segurança pública também é questionar-nos sobre o modelo de sociedade que queremos construir.

Você também pode dar um presunto legal (Sergio Muniz, 39 min.)– O filme, realizado clandestinamente em 1970-1971 (reeditado em 2006), defende a tese de que o Esquadrão da Morte, chefiado em São Paulo pelo delegado Sérgio Paranhos Fleury foi um ensaio geral para a violenta repressão política que veio a seguir.

 

Realização: Coletivo de Comunicadores Populares

 

MIS- Museu da Imagem e do Som de Campinas

Rua Regente Feijó, 859

Centro