Assinatura RSS

Arquivo do mês: março 2013

Orelhas

Publicado em

Julieta lia orelhas de livros

Wikipedias

revistas

feijoadas

jurava que um dia

encontraria

a orelha perdida

do Van Gogh

 

 

Noite

Publicado em

Havia sido rejeitada

na noite anterior

pelo homem que ela amava.

Chegou cansada do trabalho

mas colocou a sua roupa mais bonita

mais sexy.

Teve paciência para maquiar-se

paciência que nunca tivera.

Tinha a certeza

de que todos os homens

a desejariam

naquela noite.

Mas antes,

colocou um disco de jazz

daqueles mais tristes

fez um drink

acendeu um cigarro

deitou na rede

e adormeceu.

 

 

Ambição

Publicado em

Ele foi renegado

e deserdado

A mulher não agüentou mais:

– Você não tem ambição nenhuma!

Ao lado de um chafariz

numa cidade qualquer

conhece Maneco

profeta das ruas

e maluco:

– Brother, quem perde a ambição de uma coisa

ganha a ambição de todas as coisas

todas as ruas

todas as pessoas

todos os bares

todos os livros

todas as músicas

todos os ares.

E morre tranqüilo

Como hoje dormiremos.

 

 

Não

Publicado em

a palavra não

existe

 

 

O rito de passagem da mulher na universidade perante machos sedentos por carne

Publicado em
Carlos Latuff

Carlos Latuff

Para a mulher não basta passar na universidade. Tem ainda um estágio a vencer: desfilar seminua para um monte de marmanjo sedento por carne. Como se não fosse suficiente estar lá e ser como todos dentro de uma universidade, da mesma forma que conquistou. Um ritual de passagem, disfarçado de tradição e integração. Uma falsa “escolha” (como se houvesse uma escolha em alguma multidão de homens aos gritos, que remetem à plateias de shows nas arenas romanas). Ao subir num palco e se exibir, os homens veteranos tentam provar que por mais que vença, conquiste (e chegue até à presidência da república), a mulher deve estar num lugar muito definido, escolhido por suas mentes doentias e seus desejos masturbatórios mal resolvidos.