Assinatura RSS

Hitchcock e a psicose de criar

Alfred Hitchcock já estava com 60 anos, vivia o clímax de sua carreira e os jornalistas questionavam “por que não pararia no auge?” Já as produtoras queriam um filme nos moldes de “Intriga internacional”, que seria sucesso certo.O velho Alfred, contudo, vivia uma crise existencial e estética, não queria apenas ser o que esperavam dele e desejava se sentir vivo, um cineasta que ainda poderia produzir obras-primas. Ele decide, então, adaptar um livro inspirado na história de um serial killer obcecado pela mãe. A imprensa o desdenhou, questionando o motivo de um realizador de tão “bom-gosto” filmar uma sanguinolenta história “barata”, sobre um psicopata entranhado num hotel de beira-de-estrada.

Ninguém aceitou financiar o seu filme e ele hipotecou a sua casa pra realizá-lo. A história, como todos sabem, resultou numa das maiores obras-primas do cinema, “Psicose”. O filme “Hitchcock” dirigido por Sacha Gervasi e estrelado por Antony Hopkins, conta esta história. Apesar de algumas imperfeições, ele é uma bem-vinda reflexão sobre o papel do artista. George Orwell afirmava que “Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.” O mesmo pode se dizer do cinema e da arte como um todo. Hitchcock assumiu uma posição entre o romantismo e a vanguarda e nos faz perceber a eterna necessidade de fugir às confortáveis expectativas do sistema. Da mesma forma, mostra a importância de assumir aquilo que é honesto e sincero dentro de nossos desejos e pulsões criadoras, transformadoras, por mais que tentar reprimir essa vontade seja condição essencial do que nos cerca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: